Dicas de Saúde e leitura


Fim

O meu bebê já pode passear? Departamento de Neonatologia da SBP


Autor(s): Departamento de Neonatologia da SBP
Data de publicação: 07 / 03 / 2019


 

O meu bebê já pode passear?

Departamento de Neonatologia da SBP

Um dos momentos que deixa a nova mamãe mais orgulhosa e vaidosa é quando ela exibe aos parentes e amigos o seu bebê recém-nascido; e mesmo quando ela leva seu precioso tesouro para o primeiro passeio.
Não existe um dia ou uma data exata para que o recém-nascido possa sair para passear, porém, sem alguns cuidados, o que poderia ser um momento de grande prazer, pode se transformar em pesadelo.
É preciso lembrar que a primeira semana de vida é um período importante de adaptação, onde o contato com o ambiente extrauterino deverá proporcionar segurança e paz ao recém-nascido, no que concerne ao ambiente. As três semanas que se seguem são de igual importância na consolidação dessa adaptação, facilitando que em um futuro próximo a criança possa estar com outros familiares e em outros ambientes, com suas defesas fortalecidas pela amamentação ao seio e pela vacinação em dia.

Por isso, aqui vão alguns conselhos para orientar os pais nesse sentido.

Coto umbilical

Não há qualquer impedimento ao passeio do recém-nascido que ainda traz o coto umbilical. Porém, todos os cuidados deverão ser tomados a fim de se evitar alguma contaminação local ou trauma. Sugere-se apenas proteger o umbigo, sem usar faixas ou curativos, nem substâncias que possam umedecer a região.
Roupas
A roupa do recém-nascido nos seus passeios deverá ser adequada ao ambiente a que ele estará exposto. Um bebê pode ficar “quente” quando usa roupas em excesso em um local cuja temperatura esteja elevada e sem ventilação suficiente; permitindo confundir essa elevação de temperatura corporal com febre. Nos ambientes frios, uma proteção maior deverá ser feita, evitando-se o resfriamento corporal do bebê.

Ambientes fechados

O recém-nascido não deverá ser exposto, em nenhum momento, a ambientes fechados, com aglomeração de pessoas, como shoppings, supermercados e festas, nem a condições climáticas adversas tais como calor, vento, chuva ou frio.
É importante ficar atento à condição do local e oferecer o seio materno com maior frequência quando em ambientes quentes, a fim de se evitar maior perda líquida, que pode ocorrer nessas condições.

Vacinas

Os pais de um recém-nascido sadio deverão protelar sua saída de casa se as vacinas indicadas para a idade não tiverem sido administradas ainda, ou se a mamãe não estiver bem.

Sol e praia

O bebê só poderá ser exposto ao sol antes das 9 horas da manhã (em algumas regiões do país, antes das 7 ou 8 horas da manhã), e pelo tempo máximo de 15 minutos. Mesmo sob uma “barraca-de-praia”, a criança fica sujeita aos raios solares. A exposição ao sol aumenta a possibilidade do bebê desidratar rapidamente. Deve-se tentar sempre evitar a desidratação, oferecendo o seio materno com maior frequência.

Protetor solar

Não se recomenda o uso de protetor solar em crianças com menos de seis meses de idade, devido à sua maior absorção através da pele, e à dificuldade de eliminação, causada pela imaturidade de seu sistema excretor.