Dicas de Saúde e leitura


Fim

Sangue & Dieta

SANGUE & DIETA


Autor(s): Célia Regina Braga - Psicóloga Naturopata
Data de publicação: 05 / 03 / 2019


 

Muito se falou, se experimentou sobre alimentação, mas este processo é mais complexo.

Cada tipo de sangue, cada temperamento tem sua propria necessidade alimentar. 

Realmente, como sempre fui curiosa e dou valor à alimentação, ao longo do tempo tenho  experimentado e mesmo orientado a vários pacientes, através da filosofia chinesa, a influencia da alimentação nos humores .

Encontrei boa consistência no livro do Dr. Peter d’Adamo.

Não basta saber a função de cada alimento e saber o que o ser humano deve comer, segundo o Dr. Peter d’Adamo, cada tipo de sangue necessita determinados alimentos. Por isso escolhi este tema para este site. Isso porque a alimentação é um dos fatores determinantes da longevidade.  Num pais como a França , alimentação não está somente na arte da culinária, mais a quantidade e o horario fixo de alimentação.

Comer pouco em horarios espaçados prolonga a vida.

Realmente é de causar supresa se compararmos o prato de um brasileiro ao de um francês. 

Se fossemos decompor um prato  brasileiro em francês, seria da seguinte maneira :

Café da manhã :um yogurt ou fruta, café ( ao leite) pequeno e um pedaço de pão com manteiga ou queijo.

Almoço :uma salada (prato frio)  legumes ou tipo de cereais  e um tipo de carne, ou um tipo massa, somente queijo ( sobremesa opcional) café ou cha verde.

Café da tarde :um yogurt, ou fruta ( maçã é o melhor para abaixar o colesterol).

Jantar ( não depois das 20 hs) : um caldo de legumes, um prato quente ( um tipo de carne e legumes). Ou seja, o prato do brasileiro dá pra um francês almoçar, lanchar e jantar !

Por isso, por falar em longevidade, escolhi escrever um pouco sobre os tipos de sangue e alimentação. Embora minha profissão esteja mais ligada à Psicologia, sigo a filosofia do homem integral, associando a Acupuntura, Cromopuntura,  os Florais, e os alimentos.

Agora quero mostrar um pouco sobre os tipos de sangue e se voce quiser saber mais sobre o tema, indico o site http://www.abovie.com/

 

Karl Landsteiner recebeu , em 1930, o premio  Nobel de fisiologia e de Medicina.  Seu trabalho levou à descoberta dos grupos sanguineos. 

Parecidos progressivamente como a  evolução do homem, todos os grupos sanguíneos possuem características bem específicas. Divulgações surpreendentes provam que o estudo dos grupos sanguíneos pode ajudar-nos melhor a gerir a nossa vida e a nossa saúde.

1.    ‘O’ para "ouro". O primeiro grupo sanguíneo sobre a Terra era o ‘O’. Circula no homem desde a pré-história (ou seja mais de 50.000 anos antes de Cristo), atravessou os séculos e é mais concentrado no Canadá: 46% da população (os Ameríndios, da mesma maneira que os Africanos, tem fortes proporções de indivíduos do grupo O). Reencontra-se ligeiramente por toda a parte este grupo no mundo, mas está pouco presente na Ásia. De acordo com um estudo alemão que data do fim anos 60, os indivíduos do grupo ‘O’ teriam 60% mais possibilidade que os do grupo ‘A’ de exceder os 75 anos.

2.    ‘A’ por "agrário",entre o 25.000 e o 15.000 anos antes de Cristo, em certas partes do globo, o homem sédentario, caçador-solitário que era, torna-se agricultor e criador de animais. O seu nível de atividade física diminui, e adota um novo regime alimentar, que inclui os cereais e as leguminosas. Em resposta à multidão de infecções provocadas pelo aumento da população e as mudanças alimentares radicais, toda a bioquímica do homem adapta-se. Um novo tipo de sangue aparece então: o grupo A. Ao Canadá, 42% da população pertence à este grupo. Outro lugar, que encontra-se  concentrações elevadas, é no Japão, na Europa do Oeste e em torno do Mar Mediterrâneo.

3.    ‘B’para "balança",o grupo B desenvolveu-se entre o 15.000 e o 10.000 anos antes de Cristo em resposta às mudanças climáticas, consequência das deslocações para o norte Eurásia. Ao Canadá, as pessoas do grupo B representam apenas 9% da população, mas existe concentrações importantes na comunidade judaica, na Europa do Leste e na Ásia central (Mongólia, Rússia, Índia, China do Norte, etc.). O grupo B é de origem nômade, é o único grupo sanguíneo adaptado bem aos produtos lácteos. E de resto nas regiões onde é encontrado contabiliza-se mais de centenários, uma longevidade associada, designadamente, ao consumo de iogurte

4.    ‘AB’ para "moderno",último dos grupos sanguíneos, aparecido há quase 1.000 anos, representa apenas 3% da população canadense, e apenas mais em outro lugar do mundo (exceto na Índia onde a proporção atinge os 8,5 %), pessoas que pertencem a este grupo, que constitui um casamento dos três outros, têm a vantagem de ser recebedores universais. Devido ao amálgama dos grupos A e B, o AB tira uma boa capacidade de adaptação aos novos alimentos (os introduzidas pelo humano). Contudo, a sua constituição é mais complexa que a dos outros grupos. De acordo com Peter de Adamo, doutor em naturopatia, à imagem da sociedade contemporânea, o grupo AB é uma perfeita metáfora da vida atual: complexa sem ser estabelecida.

 

Na América do Norte, detemos os recordes em matéria de câncer, doenças cardiovasculares e diabetes. Seria porque adotamos regimes alimentares completamente oposto aos dos nossos antepassados?

Esta hipótese contaria entre mais plausível: os nossos sistemas digestivos e imunes continuam a proteger os alimentos que consumiam os nossos antepassados do mesmo modo, mesmo após vários milhares de anos de evolução e de migrações intercontinentais! Nos anos 30, as investigações médico - nutritivas de Weston A. Price corroboravam já esta hipótese. Após 20 anos de investigações sobre os povos que seguiam a dieta e o regime de vida dos seus antepassados, tinha observado uma saúde mais equilibrada nestes  povos, enquanto não introduzissem nos seus hábitos alimentos estrangeiros à sua cultura. O conhecimento das suas raízes e o seu grupo sanguíneo aparece por conseguinte como um dado importante na investigação de uma saúde ótima.

Certos alimentos são  compatíveis com todos os grupos sanguíneos, frequentemente são classificados  como terapêuticos para o organismo. Trata-se do salmão, do azeite, do brócolos, das ameixas, dos figos, do gengibre, do alho, da salsa e do chá verde.

-       Em contrapartida, as pessoas dos grupos A e O (ou seja 88% da população)devem evitar o trigo, os produtos lácteos, os feijões vermelhos, as batatas, as nozes de caju, as laranjas.

-       Para o grupo A,é necessário acrescentar às restrições a pimenta Cayenne bem como a banana e o tomate.

-       Grupo Odeve evitar os  amendoins e aveia bem, como vários suplementos.

-       Os grupos B e AB,quanto a eles, faria bem evitar o frango (o peru  e o ovo é autorizado), o machiche, o trigo mourisco, o milho, o abacate, as sementes e o óleo de girassol bem como os aloés vera.

-       E para todos, sem exceção, eis os alimentos a evitarem: porco, salmão defumado, o óleo de milho e de amendoim, trigo integral, nozes, coco, pimenta preta, vinagres e nata congelada ( sorvete que leva leite).



Célia Regina Braga - Psicóloga  Naturopata( Radiestesia, Cromopuntura, Therapia Floral).

Consultório particular, Rouen – França.